Médico explica as cirurgias plásticas faciais mais procuradas

Se as rugas, o formato nariz ou as pálpebras incomodam a ponto de afetar a autoestima, talvez seja o momento certo para fazer uma cirurgia plástica facial. Médicos especialistas dão orientações sobre o tipo certo de procedimento para cada caso, os prós e contras de cada um e os passos que devem ser dados para evitar os erros, que tanto aflige quem pretende fazer uma plástica.

 

Existem basicamente quatro tipos de cirurgia na face: ritidoplastia, as blefaroplastia superior e inferior, a rinoplastia e a otoplastia.

 

1. Ritidoplastia ou lifting facial: É uma cirurgia que trata o excesso da pele da face, na maioria das vezes, pela ação da gravidade. O procedimento devolve os tecidos para sua posição anatômica usuais, dando um aspecto de jovialidade.

 

2. Blefaroplastia superior e inferior: São as cirurgias das pálpebras, que têm como objetivo devolver a serenidade e juventude do olhar, corrigindo o excesso de pele e a proeminência das bolsas de gordura ao redor dos olhos.

 

3. Rinoplastia: Tem relação com a busca pela melhora na autoestima. É a cirurgia que corrige o nariz, tanto funcional quanto anatomicamente.

 

4. Otoplastia: Assim como a rinoplastia, busca melhorar a autoestima dos pacientes através da correção da orelha de abano.

 

Prós e contras de cada cirurgia facial

Assim como qualquer procedimento cirúrgico, as cirurgias acima citadas possuem benefícios, mas também possíveis complicações.

 

Ritidoplastia 

Prós: Beneficiará os pacientes trazendo uma aparência mais jovial, com os tecidos reposicionados anatomicamente no seu lugar de origem, extinção ou amenização da flacidez e excesso de pele ocasionados pelo tempo.

 

Contras: Desde as complicações recentes, como hematomas, necrose, deiscências de sutura quanto as complicações tardias que incluem estigmas de quem fez a cirurgia, como apagamento do trago da orelha, levantamento do pé do cabelo (suíça), entre outras.

 

Blefaroplastia superior e inferior

Prós - É possível remover o excesso de pele, reposicionar a sobrancelha e tratar as bolsas de gordura. O resultado da cirurgia é um olhar sereno, descansado e jovial, fazendo, muitas vezes, que as pessoas identifiquem a mudança, porém não saibam o que foi feito. Não trata os pés de galinha, nem elimina as olheiras.

 

Contras - Mesmo que incomuns, podemos nos deparar com complicações comuns a qualquer procedimento cirúrgico, bem como as complicações específicas que podem incluir a quemose, aptose palpebral, o ectórpio, dentre outras.

 

Rinoplastia

Prós - Melhora sensível na autoestima. Essa é uma cirurgia que além de ter a condição de tornar o nariz mais harmônico com a face, pode devolver um melhor funcionamento ao nariz.

 

Contras - Estigmas de rinoplastia tais como V invertido no dorso nasal, afinamento excessivo da ponta nasal e, ainda, dificuldades respiratórias, dentre outras, podem ser observadas em cirurgias malsucedidas.

 

Otoplastia

Prós - Devolve a sensação de bem-estar ao paciente, melhorando sensivelmente a sua autoestima, podendo, inclusive, acabar com a timidez deles.

 

Contras - Encontramos os problemas que podem ocorrer em qualquer procedimento cirúrgico, bem como, a recidiva da patologia, estigma de otoplastia, fechamento excessivo da orelha, dentre outros. Dicas para buscar um bom profissional

 

Para o sucesso de qualquer cirurgia plástica, é importante tomar alguns cuidados

para não errar na busca por um profissional. Confira as dicas:

 

Certificar-se que se trata de cirurgião plástico mesmo: Infelizmente, existem médicos de outras especialidades que dizem fazer cirurgias de lipo, pálpebras, nariz e não são cirurgiões plásticos treinados e reconhecidos como tal. Conseguimos saber se a pessoa é cirurgiã plástica através do site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

 

Pegar indicação de pessoas de confiança: Para o leigo é difícil avaliar o profissional, mas o ideal é ter uma indicação de pessoas de confiança como um médico de família ou de uma paciente que teve bons resultados.

 

Preste atenção na consulta: Veja se o que é explicado tem coerência e não se deixe levar por promessas mágicas do tipo "cicatriz invisível" ou "só eu sei fazer". Manipulação de fotos ou promessas de resultado são sedutoras, mas não são nunca atingidas e geram decepção.

 

Qual a hora certa para operar?

 

O momento certo para operar não é somente aquele em que o incômodo surge, mas aliado a ele, a hora ideal para enfrentar uma cirurgia é também quando o paciente tem a plena noção de que o procedimento não vai cobrir algum vazio psicológico.

 

Quando o incômodo é extremo. Cirurgia plástica facial é bastante procurada em um determinado período da vida, em termos estéticos. Quando as rugas, sulcos e flacidez começam a incomodar é o momento de procurar o cirurgião plástico. Ele vai avaliar se é o momento de cirurgia ou se ainda dá para melhorar com preenchimentos, toxina botulínica, tratamento dermatológico ou lasers.

 

Quando fazer uma cirurgia plástica trará benefícios. A hora certa para fazer uma cirurgia plástica é quando a paciente está ciente que o procedimento vai agregar em sua vida e não modificá-la de maneira que seja a solução para qualquer problema que esteja sendo enfrentado. É importante que a pessoa queira melhorar sim, mas de maneira realista e não ilusória, pois a cirurgia plástica, assim como qualquer ramo da medicina, tem limitações. E, principalmente, a paciente precisa querer fazer o procedimento para si e não para os outros.

 

Erros que podem ser evitados

Erros em cirurgia plástica são tudo aquilo que ninguém deseja para si. Por conta disso, também é importante seguir alguns passos para a chance de acontecer isso ser quase zero.

 

Faça o que estiver ao seu alcance: Certifique-se de todos cuidados que estejam ao alcance no pós-operatório, tais como quem é o cirurgião, que técnica será utilizada, qual o melhor tipo de anestesia para o caso específico, onde será executado o procedimento cirúrgico (esse local deve ter infraestrutura adequada), e, por fim, o mais importante, a precisa indicação cirúrgica, pois não adianta querer realizar um procedimento inadequado para o caso proposto.

 

Compreender que a cirurgia é um meio e que tudo na vida tem limitações: Na cirurgia, as limitações são anatômicas, o corpo não é um Photoshop, nem tudo pode ser feito e existe a cicatrização que varia conforme a pessoa. Grande parte das questões é por mau entendimento ou falta de explicação sobre o que pode ser atingido, limitações, complicações e pós-operatórios.

 

Compreenda exatamente o que será feito e não se iluda: Se você não entendeu, se encantou com promessas de perfeição ou cirurgia sem cicatrizes não opere, muitas insatisfações são decorrentes de promessas que não podem ser previsíveis. Os processos de cicatrização e recuperação são muito pessoais e não podem ser totalmente previsíveis na Medicina. Se você não aceitar isso, não opere. Simetria completa não existe no ser humano, voltar no tempo ou melhorar a vida afetiva, social e profissional não são os objetivos da cirurgia.

 

Fonte: http://br.mulher.yahoo.com/m-dico-explica-cirurgias-pl-sticas-faciais-mais-182300440.html

© 2013 www.rodrigoantoniassi.com.br. Todos direitos reservados.