Redes sociais e “selfies” causam aumento nas cirurgias plásticas nos EUA

Pesquisa de organização norte-americana aponta que cirurgias e procedimentos faciais estão mais frequentes

entre homens e mulheres com menos de 30 anos

 

As câmeras potentes em celulares e o compartilhamento de fotos a todo instante já foram discutidos à exaustão quando o assunto é superexposição e privacidade. Agora, surge mais uma questão: as selfies e a facilidade de publicar fotos pode estar ligada ao aumento de cirurgias plásticas e procedimentos estéticos faciais.

 

Foi esta a conclusão da American Academy of Facial Plastic and Reconstructive Surgery, maior organização de cirurgiões plásticos faciais do mundo. Anualmente a organização realiza uma pesquisa entre 2700 de seus membros para identificar tendências. Os resultados mais recentes indicam que um a cada três cirurgiões percebeu um aumento de pedidos por cirurgias devido à necessidade de seus clientes “saírem bem na foto”.

 

Na prática, houve um aumento de 10% nas rinoplastias (cirurgias no nariz) em 2013, quando comparado com 2012. Além disso, houve um crescimento de 7% nos transplantes de cabelos, e 6% nas cirurgias da pálpebra..

 

Segundo o presidente da organização, Edward Farrior, a exposição constante da imagem em redes sociais baseadas em fotos, como Instagram e Snapchat, faz com que os pacientes observem o rosto com precisão microscópica, e sejam mais autocríticos do que eram antigamente.

 

Além das cirurgias, aumentou também a procura por procedimentos estéticos entre homens e mulheres antes mesmo de completarem 30 anos. Mais da metade dos cirurgiões pesquisados afirmou que cresceu a busca por aplicações de toxina botulínica e preenchimentos como ácido hialurônico, na tentativa de retardar o envelhecimento e adiar a necessidade de recorrer ao bisturi.

 

Segundo a American Academy of Facial Plastic and Reconstructive Surgery, o aumento da procura por procedimentos estéticos pelos jovens também se deve à exposição nas redes sociais, o que tem grande impacto na autoestima de homens e mulheres.

 

Fonte: http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=3&cid=192918